Cientistas investigam como espiritualidade atua no corpo humano
17/05/2021 14:13 em Novidades

Para o teólogo e psicanalista Fábio Tristão, o espírito não pode ser confundido com a alma no corpo humano. Segundo o especialista, há uma distinção entre as duas partes do ser humano, e os benefícios da espiritualidade é percebido diretamente no corpo humano

Uma pesquisa realizada por um grupo multidisciplinar no Brasil está investigando o quanto a espiritualidade do paciente auxilia na cura de doenças físicas e psíquicas. A iniciativa é da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), o Instituto de Psiquiatria (IPq) da USP, por meio do Programa de Saúde, Espiritualidade e Religiosidade (Proser), e a Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), com o Núcleo de Pesquisas em Espiritualidade e Saúde (Nupes).

A investigação do grupo está estudando até que ponto complicações de saúde no corpo podem ser agravadas a partir de sentimentos ruins ou de pensamentos destrutivos. O estudo, entretanto, não foca necessariamente na religião dos pacientes, mas na concepção de que cada ser, a priori, é possui um espírito.

Para o teólogo e psicanalista Fábio Tristão, o espírito não pode ser confundido com a alma no corpo humano. Segundo o especialista, há uma distinção entre as duas partes do ser humano, e os benefícios da espiritualidade é percebido diretamente no corpo humano.
“Na minha atual experiência, diria que 85% dos atendimentos que faço como pastor, são queixas de feridas na alma e não problemas espirituais”, relata o pastor Fábio Tristão.

Nos Estados Unidos, a Escola de Medicina de Stanford, as Universidades Duke, a da Flórida, a do Texas e Columbia mantêm centros de estudos exclusivos sobre o assunto. Para os centros de pesquisa, há um conjunto de evidências que indicam que diversas expressões da espiritualidade têm impacto significativo na saúde e no bem-estar, associadas a menores níveis de mortalidade, depressão, suicídio, uso de drogas, ou mesmo internações e medicamentos.

A temática sobre depressão, suicídio e outros transtornos mentais não são tratados abertamente dentro da comunidade cristã. O assunto, entretanto, é cada vez mais urgente. Para o pastor e psicanalista Fábio Tristão, é preciso mudar a forma que se é visto essas angústias.

“É necessário parar de espiritualizar todas as coisas e entender que angústias, depressão, síndrome do pânico entre outras queixas, são enfermidades da alma, necessitam de atenção médica. É claro que nós cremos no poder sobrenatural da cura em Jesus, mas o fato de uma pessoa que enfrenta um câncer e recebe uma oração e não é curada, não significa que ela está com problemas espirituais como estar possuída por demônios, por exemplo”, explicou.

Raiva, rancor, orgulho, medo e egoísmo, são sentimentos comuns a todos os seres humanos podem estar no cerne de boa parte das doenças enfrentadas pela humanidade, segundo a própria medicina. Várias instituições no Brasil e no mundo vêm se dedicando a estudar até que ponto a saúde do indivíduo é influenciada, literalmente, pelo seu estado de espírito. Para o Pastor Fábio Tristão o entendimento sobre como somos constituídos, pode oferecer respostas para ciência.

“É necessário entender que o ser humano é divido em 3 partes: corpo, alma e espirito (tricotomia) que é a configuração tripartite do ser humano. Cada parte tem sua função. O corpo físico é o meio pelo qual o homem entra em contato com o mundo material, dando-lhe a consciência do mundo. A alma fornece ao homem o intelecto, que o faz entender o mundo, e as emoções, que complementam as faculdades dos cinco sentidos; ela constitui o ‘’eu’’ do homem e representa sua personalidade ou autoconsciência. O espírito é o intermédio da comunicação entre o homem e a divindade que o criou”, concluiu.

*com informações da BBC

COMENTÁRIOS
PUBLICIDADE